A rejeição e a aversão à prospeção

A rejeição e a aversão à prospeção

A rejeição e a aversão à prospeção

Na nossa vida, fugimos sempre da dôr e procuramos o prazer. É clássico e intemporal. E os estudos científicos demonstram cabalmente que damos muito mais importância à primeira opção do que à segunda.

Daí haver uma tendência natural para fugir da rejeição. É humano!

Mas nas empresas há uma perda natural de clientes, ao longo do tempo. Por diversas razões. Porque não nos interessa continuar a vender-lhes, ou porque não lhes interessa comprar-nos, nas nossas condições.

Por isso é vital estar sempre a conquistar novos clientes, para compensar os que saem, e permitir crescer em carteira.

Como podemos inverter essa fuga à rejeição?

Eliminando a principal causa, que é não saber criar rapport com o nosso interlocutor. E para isso ser eficaz, é essencial saber observá-lo, interpretar os sinais comunicados quer de uma forma verbal quer não verbal,  e classificar o seu perfil comportamental. 

Feito isso, podemos ajustar o nosso comportamento da forma ideal para criar rapport, e não quebrar rapport.

O resultados mudam de imediato, e a prospeção passa a ser uma atividade divertida.

Quer aprender essas técnicas?

  • Partilhar:
0